Articles tagged with: SQL Server 2012

Impressões sobre o exame 70-462: Administering SQL Server 2012 Databases

Exame 70-462

Boa tarde!

Feliz por ter tido êxito no exame 70-462 da Microsoft, segundo capítulo da trilogia de certificações rumo ao MCSA. De cara devo dizer que foi uma prova, no mínimo, emocionante.

Preparação

Os estudos anteriores me ajudaram bastante (muito, mesmo), principalmente  do 70-432. A experiência do dia a dia foi fundamental pra acertar algumas questões, principalmente de backup. Estudei novamente me baseando no Training Kit (Material Oficial do exame) assim como o Prep-kit que vem junto pra revisão (que é bem legal). O guia de todo o momento foi novamente o Skills Measured.

Impressões Gerais

Setenta questões. SETENTA. Duas horas (fiz em inglês, o tempo então é maior que em pt-br). Faltando nove minutos consegui finalizar a prova.  Por isso disse que foi emocionante. Nem deu tempo de revisar praticamente. Achei a prova com uma dificuldade interessante (ela está um meio termo entre a 70-432 e 70-450, comparativamente falando, na minha opinião) .

Assuntos que caíram

  •  Bastante sobre Recovery Model e Backup/Restore. Saiba as limitações de cada um e as possibilidades de restauração. Foi o assunto mais recorrente no exame inteiro, inclusive quando se falava de migração (por consequência). Foram questões bem interessantes, embora discorde fortemente de duas delas que continham mais de uma resposta (uma que tinha mais de um modelo de recuperação).
  • Migração caiu em peso. Algumas perguntas sobre como adaptar uma base SQL Server 2005/2008 para 2012. Atenção para alguns termos caso não esteja habituado: Side-by-side e In-Place;
  • Alta Disponibilidade vai cair ao rodo. Leia (e pratique!) sobre Always On, Failover Cluster e saiba o que cada tipo de replicação faz, vantagens e desvantagens. As configurações das réplicas no Always On (preferência de backups, leitura…) marcam presença;
  • Entender um pouco de RAID (principalmente 0,1,5 e 10)  e como mensurar IO é algo que ajudará com certeza;
  • Outras tecnologias: Algumas questões sobre  SQL Azure, SSRS (uma envolvendo permissionamento) e duas de SSIS;
  • Atualização: Saber qual o melhor procedimento para atualizar nodes e instâncias em mirror garante algumas questões;
  • Contained Database: Algumas questões. Saber quais os modos de habilitar e como se autenticar foi o suficiente para estas questões;
  • Menor privilégio possível. GRANT, DENY e REVOKE. Umas três questões e todas elas tranquilas, mas com alguns peguinhas. Sabendo da prevalência do DENY, fica mais fácil… Server Roles cairam também, e algumas questões sobre Server Roles customizadas;

Tem muito mais coisas, porém algumas não me lembro e outras, de tão intuitivas, não posso dizer pra não quebrar o sigilo do exame (NDA).

E agora?

Vou estudar logo o Training Kit 70-463 (BI) e sofrer um pouquinho estudando algo que não uso atualmente 😀

Claro, é necessário conhecer mais sobre a suíte SQL Server no geral e nenhum conhecimento é perdido. Estranhamente estou animado Deve ser porque eu gosto do SSIS e na minha mente ingênua penso que maior parte da prova será sobre isso (rindo).

Em compensação, estou lendo um livro de Administração também, então, vai rolar uma concorrência aí.

SQL Server 2012 – Cláusula CONCAT() e o que isso significa pra galáxia

golphin

Bom dia. Post rápido, de nível básico pra não deixar água parada 🙂

Vários Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados (ou DBMS, no original) utilizam, pra concatenar, ou seja, juntar textos, pipes (o símbolo  –> | <–)  sendo que o padrão ANSI-92 prevê dois pipes como concatenação (mas não é obrigado a ser seguido tanto que o SQL Server não o faz) ou a função CONCAT(), que é bastante popular no Oracle e no MySQL. SQL Server, por sua vez, sempre concatenou os textos com o símbolo + (plus, conhecimento popularmente como MAIS).

Felizmente, assim como de costume em cada release, novos comandos (ou velhos, dependendo do ponto de vista) são adicionados no SQL Server de modo a facilitar a portabilidade entre sistemas. Aliás, features assim eu já vejo de cara como tentativa da MS de justificar migrações de código, deixando-as menos penosas. Mas bem, adivinha quem entrou como alternativa pra concatenações no SQL Server?

THIS GUY  ————> link

Mas essa ainda não é a maior vantagem do CONCAT sobre o método tradicional. Observe que todos os envolvidos na concatenação eram tipos textuais. Mas e nos casos comuns, onde geralmente temos que concatenar texto com números?

Msg 245, Level 16, State 1, Line 11
Conversion failed when converting the varchar value ‘SQL SERVER ‘ to data type int.

A mensagem é clara demais…Ele tenta concatenar um número com texto e falha. Pra que o código acima rodasse tranquilamente, era necessário um CAST ou CONVERT na variável @release para um tipo textual, sendo possível assim realizar a concatenação. Exemplo:

Significa que quando recebermos a tarefa de migrar um script do MySQL ou Oracle pra SQL Server por exemplo, teremos menos uma dor de cabeça em relação a cláusula de concatenação, já que a função agora é a mesma. Parece uma mudança irrelevante e sem graça, e de fato, perto do que o 2012 traz, não é aquela senhora feature, mas achei um passo até notável. Alguns pontos:

1) Evite sempre que possível o uso de extensões proprietárias. Prefira sempre comandos ANSI e se não houver, algo de sintaxe similar ou que seja comum a outros bancos. Isso facilita o reuso, migrações de código entre plataformas. SEMPRE pense nisso quando for desenvolver algo em SQL.

2) Concatenação geralmente é um recurso bastante presente em códigos legados. Não precisar portar boa (senão toda) parte dele é economia de tempo. Isso tem impacto sobre sua vida, sua produtividade e na vida dos ursos no polo norte.

3) SQL Server cada vez mais se torna amigável adaptando em si alguns recursos que são usados de modo frequente. Vejo isso como uma oportunidade  de desmistificar pra profissionais que mexem com outros sistemas que MSSQL é algo de outro mundo (sendo que nem é e possui inclusive um dos dialetos (T-SQL) mais fáceis entre os disponíveis). O uso destes recursos pelo desenvolvedor possibilita a propagação dessa idéia. ;

4) Desenvolvedores (T)-SQL fazem com que o código mais universal  reduzam o impacto de meteoritos para longe da órbita do planeta Migrations;

Enfim, recomendo que você use CONCAT() sempre que possível partindo da versão SQL Server 2012 se não houver envolvimento com o legado, é claro.

[]’s

Vamos estudar SQL Server 2012?

birds

Boa noite Pessoal! Post rápido e preguiço devido às correrias da vida.

Estou bastante contente (e empolgado, não tem como esconder) sobre SQL Server atualmente. Comecei a estudar em conjunto pra prova de certificação (exame 70-461) e isso tem gerado resultados mais eficientes em comparação ao estudo individual. Até então, meu contato com SQL Server 2012 se restringia apenas a leitura, uma logada+fuçada  em uma coisa ou outra, mas agora vai (!) , e vou refletir isso em postagens aqui no blog, reforçando aqui meu compromisso de usar o wordpress de verdade 🙂

Resolvi, além disso, deixar o convite para quem tá afim de dar uma mexida também:

  • Baixe o SQL Server 2012 Evaluation (Ou trial/teste, como preferir) aqui
  • Algumas novidades no T-SQL do 2012 bem explicadas aqui
  • O conteúdo da prova de Querying (primeira prova) mencionada no post aqui
  • Caso tenha dúvida e precise de uma mão, depois de dar aquela garimpada de leve na documentação oficial (Books Online/MSDN) e internet, a comunidade SQL Server está presente em peso nos fóruns.
  • Tem material no MVA também neste link:

Outros fóruns e blogs relacionados ao conteúdo estão aí disponíveis também. Não vou postar por pura preguiça, e acho que leitura de blog deve ser on-demand de acordo com o internauts.

Eu sei que é um tanto engraçado em meados de 2013 eu dizer, no título, pra estudar a versão 2012 sendo que a 2014 já está aí, kkkkkkkk. Mas bem, levando em conta que eu estava estudando/trabalhando/lendo sobre o 2008 R2, só deu pra dizer isso agora.

Por enquanto é isso. Até!